Encontro da Canção de Protesto de 2022: Sessão de cinema documental «Não Apaguem os Nossos Rastos! — Dominique Grange, Uma Cantora de Protesto», de Pedro Fidalgo

 

 

 

Entre os dias 16 e 18 de Setembro de 2022 irá realizar-se em Grândola, no âmbito da actividade do Observatório da Canção de Protesto*, uma nova edição do Encontro da Canção de Protesto**.

De entre as iniciativas previstas, destacam-se desde já a apresentação da peça de cinema documental da autoria de Pedro Fidalgo designada N’Effacez Pas Nos Traces ! — Dominique Grange, Une Chanteuse Engagée (Não Apaguem os Nossos Rastos! — Dominique Grange, Uma Cantora de Protesto), dedicada à cantora, voz do Maio de 68, activista, escritora e guionista de banda desenhada, Dominique Grange, a realização de uma sessão testemunhal em que irão participar Pedro Fidalgo, Dominique Grange e o ilustrador Jacques Tardi, e a participação de Dominique Grange na sessão de canto livre que o Observatório da Canção de Protesto produz anualmente.

O documentário supramencionado será estreado em Portugal em 12 de Maio de 2022, no Cinema City Alvalade***, e terá, nesse e nos dias que sucedem, sessões de testemunho associadas. Numa dessas sessões, em 13 de Maio, irão participar Hugo Castro e Ricardo Andrade, investigadores do Instituto de Etnomusicologia — Centro de Estudos em Música e Dança da FCSH-UNL, em representação, também, do Observatório da Canção de Protesto. Em 11 de Maio, Pedro Fidalgo e Nelson Guerreiro irão apresentar a peça documental de sua autoria, MUDAR DE VIDA, José Mário Branco, vida e obra, no núcleo da Associação José Afonso de Lisboa, no quadro de um conjunto de sessões sob o título MAIO MADURO MAIO EM LISBOA****.

 

 

*
O Observatório da Canção de Protesto (OCP) é um organismo resultante da parceria entre o Município de Grândola, entidade promotora, a Associação José Afonso, a Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense, e os institutos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM), Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança (INET-md), e Instituto de História Contemporânea (IHC). Os seus objectivos são o estudo, a salvaguarda e a divulgação do património musical tangível e intangível da canção de protesto produzido durante os séculos XX e XXI, através da realização de iniciativas culturais diversas.

 

 

**
Para saber mais sobre o Encontro da Canção de Protesto, consultem-se os seguintes sítios em rede:

– 2019 (https://www.rtp.pt/antena1/concertos/encontro-da-cancao-de-protesto_10904);

– 2020 (https://www.rtp.pt/antena1/concertos/encontro-da-cancao-de-protesto_11263);

– 2021 (https://www.rtp.pt/antena1/concertos/encontro-da-cancao-de-protesto-de-2021-_11502).

 

 

***
Texto produzido pelo realizador:

Estreia a 12 de Maio no Cinema City Alvalade o novo filme do realizador português Pedro Fidalgo intitulado N’EFFACEZ PAS NOS TRACES ! Dominique Grange, uma cantora de protesto.

O realizador continua a filmar a História através da canção de protesto, no seguimento do filme Mudar de Vida, José Mário Branco, vida e obra(2014), co-realizado com Nelson Guerreiro. O realizador escolheu desta vez Dominique Grange, também ela cantora de intervenção, porque as suas canções transportam os rastos do Maio de 68 até aos nossos dias. O filme conta com a participação do consagrado desenhador de banda desenhada Tardi que ilustra e dá voz ao filme..

NÃO APAGUEM OS NOSSOS RASTOS! (em português) debruça-se também sobre as recentes lutas em França. O filme insere-se na atualidade, pois Dominique Grange define o seu trabalho como um «compromisso perpétuo». O slogan de 1968 « Isto é só o início, continuemos a luta! » repercute tanto nela como em nós. Foi neste estado de espírito que Pedro Fidalgo filmou e acompanhou o movimento social em França dos últimos anos. Estes arquivos do presente entrecruzam-se e misturam-se com imagens e canções de Dominique Grange, mas também com desenhos de Tardi. O filme realça as lutas do passado e recheia-as com o real do presente.

Um filme para ver e ouvir num espírito libertário. N’EFFACEZ PAS NOS TRACES ! é uma obra militante ao mesmo tempo um documentário cinematográfico filmado e produzido através de ‘crowdfunding’, com uma das pessoas a contribuir para este filme a ser Jean-Luc Godard. Haverá sessões comentadas em presença do realizador e convidados surpresa nos dias 12, 13 e 14.

 

 

****
MAIO MADURO MAIO EM LISBOA

Dia 11 de Maio – 18H30 – Quarta-feira – Núcleo da AJA de Lisboa
MUDAR DE VIDA, José Mário Branco, vida e obra
em presença dos realizadores Nelson Guerreiro e Pedro Fidalgo

Estreia – Dia 12 de Maio – 19H00 – Quinta-feira – Cinema City Alvalade
N’EFFACEZ PAS NOS TRACES, Dominique Grange, uma cantora de protesto
Debate: Filmar a canção de protesto
Sessão comentada em presença do realizador Pedro Fidalgo e de Nelson Guerreiro, co-realizador de Mudar de Vida, José Mário Branco, vida e obra

Dia 13 de Maio – 19H00 – Sexta-feira – Cinema City Alvalade
N’EFFACEZ PAS NOS TRACES, Dominique Grange, uma cantora de protesto
Debate : A influência do Maio de 68 na canção de protesto em Portugal
Sessão comentada em presença do realizador Pedro Fidalgo e de Hugo Castro e Ricardo Andrade, membros do Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança e do Observatório da Canção de Protesto.

Dia 14 → 18 de Maio – Cinema City Alvalade
N’EFFACEZ PAS NOS TRACES, Dominique Grange, uma cantora de protesto
Sessão diária.

E caso se mobilizem as massas…  a luta pode continuar mais dias!

 

Informações e contactos:
Núcleo AJA Lisboa – Associação José Afonso
Rua de São Bento, 170
1200-821 Lisboa
Tel: +351 21 131 82 90
ajalisboa.nucleo@gmail.com

Cinema City Alvalade
Av. De Roma, 100
1700-352 Lisboa
Contactos +351 214 221 030 | Ext. 4 // alvalade@cinemacity.pt
Lotação 4 Salas // 389 lugares

Trailer?  – Legendado em português
https://www.youtube.com/watch?v=QUgzubyy5LY

Mais informações sobre o filme ?
https://www.kinomargem.net/team-3

 

Jose AbreuEncontro da Canção de Protesto de 2022: Sessão de cinema documental «Não Apaguem os Nossos Rastos! — Dominique Grange, Uma Cantora de Protesto», de Pedro Fidalgo